Avisos Paroquiais
Receba nosso informativo diretamente em seu e-mail.
Amar Como o Pai Ama

23/02/2011

19-20/02/2011

7° Domingo do Tempo Comum

Lv 19,1-2.17-18 / Sl 102(103) / 1Cor 3, 16-23 / Mt 5, 38-48 

TEMA: “Amar Como o Pai Ama” 

Vivemos numa sociedade marcada pela violência e injustiça. O que celebramos é o memorial de alguém que foi morto pela sociedade injusta. Com ele, nesta celebração, aprendemos a vencer a violência, para sermos perfeitos como o Pai do céu.

Lv 19, 1-2.17-18: Santidade é uma relação de amor. O capitulo 19 é o coração do Levítico e do próprio Código da Santidade (caps. 17-26), ao qual pertence. “ Sejam Santos, porque eu, Javé seu Deus, sou santo” (v.2)A santidade consiste num comportamento responsável em relação ao próximo, que começa por libertar o coração do ódio, a fim de evitar o mal (v. 17). Para culminar sua relação que é doação aos outros daquilo que mais desejamos a nós próprios: o amor (v. 18) a referencia para esse comportamento é Javé. Ele libertou seu povo do ódio do Faraó, educou-o no deserto e lhe demonstrou amor, conduzindo-o à liberdade e a vida. Por isso ele é santo, podendo exigir de seus seguidores relação de amor.

Sl 102 (103): Deus é amor. É um hino de louvor que bendiz a Javé por todos os benefícios concedidos a uma pessoa e a todo o povo. O Salmo mostra a fidelidade de Javé a seu aliado: O POVO. Ele perdoa, cura, livra da morte, coroa com a vida, amor e compaixão, sacia, faz justiça e defende os pobres. Jesus louvou e mostrou bondade também com os maus.

1 Cor 3, 16-23: A quem pertencemos? Os lideres não são donos da comunidade, querer ser dono é destruir o templo de Deus, que é a comunidade.

Mt 5, 38-48: Amar como o Pai ama.
Temos três casos para entrar no ensinamento de Jesus.
1 - Trata da Violência Física: “Se alguém lhe dá uma bofetada na face direita, ofereça também a esquerda”. Sabendo que o tapa na face direita, ou seja, com as costas da mão, machuca da mesma forma, porém, fere mais e agride mais violentamente.
2 - Diz respeito aos processos judiciais:  nos quais os pobres e perseguidos por causa da justiça dificilmente ganham a causa, sendo inclusive, obrigados a penhorar a túnica como garantia. Jesus sugere que deixem também o manto.
3 - Fala do abuso das autoridades: que obrigavam as pessoas a transportar cargas ou servir de guia. Jesus dá um conselho: “Se alguém o forçar a caminhar um quilômetro, caminhe dois com ele”.

Humanamente falando, parece que não vale a pena resistir, não temos vez nem voz. Só que esses conselhos de Jesus não são passividade ou entregar os pontos, mas estratégias para minar a injustiça por dentro. É claro que os pobres nunca vencerão ao empregar, usando as mesmas armas dos violentos.
“Felizes os que promovem a paz, porque serão chamados(as) filhos(as) de Deus.” (Mt 5, 9) 

Jacareí, 19/20 de fevereiro de 2011.
Pe. José Afonso de Souza
Hoje é meu aniversário de ordenação sacerdotal: 18 anos.


Fonte: Projeto Nacional de Evangelização – n°14 – CNBB.             
          Roteiros Homiléticos – Pe. José Bortolini – Paulus.
             
          Bíblia Sagrada, Edição Pastoral – Paulus.

Voltar

 
| Política de privacidade