Avisos Paroquiais
Receba nosso informativo diretamente em seu e-mail.
Romaria dos Mártires da Caminhada

23/07/2011

Testemunhas do Reino

 

Nos dias 16 e 17 de julho nossa Diocese se fez presente na Romaria dos Mártires da Caminhada, em Ribeirão Cascalheira, MT, na Prelazia de São Félix do Araguaia.  Esta Romaria acontece a cada cinco anos, no lugar onde o Pe. João Bosco Penido Burnier foi martirizado. Neste encontro celebra-se a memória de todos os Mártires da nossa América Latina, que, conforme nos ensina Dom Pedro Casaldáliga, “numa visão cristã renovada, mais profunda, mais consoante com a Palavra e com a Vida, com a Morte e a Ressurreição de Jesus, são mártires todos aqueles e aquelas que dão sua Vida na morte pelas causas do Reino, pela justiça, pela paz, pela solidariedade, pela ecologia, pela promoção do próximo marginalizado”. Nossa Diocese foi representada por oitenta romeiros, de diversas paróquias de Jacareí e de São José dos Campos. Esta participação foi coordenada pela Paróquia São José Operário de Jacareí, com o Pe. José Afonso de Souza, juntamente com a Irmandade dos Mártires da Caminhada Latino-Americana.

A mística da Romaria iniciou-se na noite do dia 16, com a caminhada Martirial, momento em que a terra que foi banhada com o sangue do Pe. João Bosco, de repente se cobrisse por milhares de romeiros de todos os cantos do Brasil e de outros países; todos com a tocha da Esperança Pascal iluminando o caminhar até o Santuário dos Mártires. Dom Pedro Casaldáliga, profeta do Reino, encarnando o tema da Romaria, “Testemunhas do Reino”, em sua mensagem aos romeiros, fez reavivar e renascer a “Esperança Pascal”, a “Esperança no Reino”.

Nesta Romaria também celebraram-se os quarenta anos da Prelazia de São Félix do Araguaia. Nisto, Dom Leonardo, que é bispo da Prelazia e também Secretário Geral da CNBB, concelebrando com Dom Eugênio Richen, no segundo dia da Romaria, lembra o espírito de fraternidade e partilha que une todas as Dioceses ali representadas, com a Prelazia, nestes seus quarenta anos.

Dom Leonardo afirma ainda que partilhar é dar a vida, e que as ameaças acontecem porque as pessoas são cobradas à partilha. Dom Eugênio Richen lembrou-nos também que muitos derramaram seu sangue e muitos estão ameaçados, e que somos uma Igreja de acontecimentos. Nesta celebração da Eucaristia, celebrando o Mártir dos Mártires, a Igreja ali reunida se abraçava com os mais diferentes sotaques, línguas e raças. Vários povos indígenas celebravam ali também a esperança de verem suas terras demarcadas.

Logo após a partilha do Pão Eucarístico, abraçando a todos os romeiros, Dom Pedro Casaldáliga, na sua corajosa fragilidade, encerrando a Romaria com sua mensagem profética, afirma que o sangue e a memória dos mártires é compromisso! E que nunca nos esqueçamos dos pobres, dos povos indígenas expropriados de suas terras, e de todos os excluídos. Lembrou-nos também que, na construção do Reino de Deus, este outro mundo possível somos nós. E que por isto, não podemos perder a esperança: “Podem nos tirar tudo, menos a Esperança... a Esperança no Reino”!

 

Paulo José de Oliveira (Paulinho)
Membro da Equipe de Comunicação das CEBs
e da Irmandade dos Mártires da Caminhada Latino-Americana

 

Confira as fotos da Romaria dos Mártires da Caminhada, clique aqui

Voltar

 
| Política de privacidade