Avisos Paroquiais
Receba nosso informativo diretamente em seu e-mail.
Fiquemos Alertas, pois Deus esta chegando

29/11/2011

Primeiro domingo do advento

Is 63,16b-17.19b;64,2b-7 / Sl 78(80) / 1Cor 1,3-9 / Mc 13,33-37

Hoje iniciamos o ano litúrgico e por isso somos convocados a exercitar uma das grandes virtudes cristãs: A ESPERANÇA. Nós somols o povo da esperança, espera confiante e otimista em relação ao reinado de Deus e sua definitiva instauração com a segunda vinda de Jesus.

Primeira leitura (Isaías). O silêncio de Deus. Podemos dividir o texto de hoje em quatro momentos:

1-Uma medição histórica (63,7-14)

2-Uma invocação a Deus, em que é chamado de Pai e Redentor (63,15-19a)

3-Um pedido para que rompa o silêncio e se manifeste (63,19b-64,4a)

4-A confissão coletiva dos pecados (64,4b-11)

O povo está passando por sérias dificuldades, quando o povo voltou do exílio para a terra, sentiram na pele as dificuldades para reconstruir o país. O texto fala de sofrimento do povo.

A ausência de Deus (silêncio) diante do sofrimento do povo, impressão esta que torna o texto tão próximo da nossa realidade brasileira e latino-americana. Daí o pedido: "Ah! Se rasgasses os céus e descesses, e tua presença abalasse as montanhas". O que se pede é uma manifestação de Deus, a semelhança do Sinai. As montanhas seriam os novos desafios sociais a serem superados. Como conseguir se Deus parece estar incomunicável?

Deus é chamado de "Pai", ou seja, fonte de vida para o povo. Deus é ainda invocado como sendo o "nosso Redentor", encarregado de libertar membros da familia escravizados. Deus é vida (Pai), é o libertador so seu povo. A vida e liberdade do povo eram como folhas leavdas pelo vento (64,5).

Deus vai ao encontro de quem pratica a justiça com alegria e de quem se lembra dele. É preciso que deixemos ser modelados pelo Pai, sendo como barro na mão do oleiro, pois "somos todos obras de tua mão" (64,7), aqui lembra a criação (Gn 2,7). Temos esperança de que Deus, por ser Pai e Redentor, vai dar atenção para o seu povo (63,17), vai rasgar o céu e descer (63,19b) e vir ao encontro de quem pratica a justiça. O silêncio de Deus é só aparência, está disposto a refazer a criação de nova realidade.

Evangelho (Mc 13,33-37): Deus está sempre chegando. O capítulo 13 de Marcos é discurso escatológico (inspirado em Mt 24: "Em verdade eu vos digo: não ficará pedra sobre pedra, tudo será destruído". Os discípulos querem saber "quando isso irá acontecer e qual será o sinal". Jesus não está interressado em matar a curiosidade dos seus seguidores, mostra ao contrário, mediante uma comparação, qual é a atitude fundamental de quem espera: VIGILÂNCIA. O texto de hoje repete quatro vezes o verbo VIGIAR.

É impossível conhecer a hora, pois o fim de tudo não é algo pré-datado: "Cuidado! Fiquem atentos, porque vocês não sabem quando chegará o momento" (v.33).

No v.34 temos uma comparação: "Um homem que partiu de viagem: deixou sua casa, deu autoridade a seus servos, distribuindo a cada um sua responsabilidades e ao porteiro ordenou que vigiasse". Jesus se compara a alguém que viajou e pode chegar a qualquer hora: "Vigiai, porque não sabeis quando o senhor da casa voltará: à tarde, à meia-noite, ao canto do galo, ou de manhã" (v.35). Quais são os bens que Jesus confiou a cada um de nós? A tarefa de continuar o que ele iniciou, baseada no serviço (cf. 9,35 e 10,40) que liberta as pessoas e a sociedade inteira das estruturas alienantes geradoras de morte. "Se alguém quiser ser o primeiro dentre vós, seja o servo de todos" (10,44).

O porteiro que fala no texto lembra as lideranças das comunidades. A função do porteiro é igual a dos empregados: VIGIAI. Ele não deve fazer tudo sozinho: ele coordena as tarefas e ajuda a cada um dos empregados a exercê-la com responsabilidade. Para Jesus, todos somos responsáveis pela "casa" que é o mundo, cada qual com sua função específica.

O que quer dizer vigiar? Não é uma atitude passiva de espera, mas ação concreta de quem é responsável, junto com tantos outros, pela "casa" de Deus que é o mundo. Vigiar é testemunhar a ação e a presença de Deus no meio das pessoas. Dinate do projeto de Deus, que é LIBERDADE E VIDA para todos, os seguidores e seguidoras de Jesus não podem se acomodar.

Durante a noite inteira (à tarde, à meia-noite, ao canto do galo"madrugada", ou de manhã), que é o hoje da nossa história, somos convocados/as a não dormir: "Se ele vier de repente, não deve encontrá-los dormindo" (v.36). Dormir: "é relaxar no compromisso com o projeto  de Deus". Isso não é só para algumas pessoas e sim para todos e todas: "O que digo a vocês, digo a todos: Fiquem vigiando" (v.37)

O porteiro é a imagem da comunidade que está de prontidão para o retorno do Mestre.

A oração  e a missão são também atitudes de vigilância. A graça que Deus concede a comunidade é para que preserve testemunhando até o fim. Vigiar é estar em comuhão com Jesus, por meio da oração e da missão: No mesmo pensar, sentir e agir, diante dos desafios da história e os sofrimentos na caminhada, a comunidade foi chamada a viver para as coisas que não passam. (2ª leitura: 1Cor 1,3-9), somos confiantes de ser contados entre os que serão reunidos a direita de Deus (Oração do dia). "Vinde bendito de meu Pai para Reino que está preparado para você desde a criação do mundo" (Mt 25,31-46).

Pe. José Afonso

Jacareí, 27 de Novembro de 2011

Fonte: Projeto Nacional de Evangelização - n°19 - CNBB

           Roteiros Homiléticos - Pe. José Bortolini - Paulus

           Bíblia Sagrada, Edição PAstoral - Paulus

           Bíblia de Jerusalém - Paulus

Voltar

 
| Política de privacidade