Avisos Paroquiais
Receba nosso informativo diretamente em seu e-mail.
NATAL 24/12/2011

29/12/2011

Natal

Is 9,1-6 / Sl 95 / Tt 2,11-14 / Lc 2,1-14

TEMA: "NATAL: DEUS ESTÁ AO ALCANCE DA NOSSA ESPERANÇA

Deus entra na história do ser humano por meio de uma mulher marginalizada, pobre, trabalhadora da cidade de Nazaré, onde nada de bom podia sair. Celebrar o Natal é fazer memória dos eventos libertadores de nosso Salvador. Jesus nasce no meio dos pobres, migrantes, pastores, enfim, encarna-se na realidade dos que sofrem, para libertá-los.

Chegou a salvação para os pobres e oprimidos (Is 9,1-6): a primeira leitura descreve em tres momentos a libertação dos que eram escravos:

1º - LUZ QUE BRILHA: Isaias faz ver que está para nascer nova aurora (9,1), como inicio da criação, quando Deus fez a luz (Gn 1,3), colocando ordem nos caos;

2º- A libertação se traduz, concretamente, no fim da opressão, para que o povo possa crescer e viver em paz e alegria. A alegria do povo libertado é semelhante à alegria experimentada durante uma colheita abundante, o povo reconquistou para si o que os poderosos havia tomado e roubado com violencia (v.2). Acabando com as injustiças, acaba também a opressão: Deus quebra a canga que oprimia o povo, quebrou  a vara do capataz (v.3). A justiça volta a vigorar. A vitória dos pobres e oprimidos recorda a passagem de Jz 7, 15-25, quando Gedeão, organizando e liderando um grupo de pessoas pobres:"Eles irão fazer uma grande fpogueira com os símbolos da opressão: as botas dos soldados e os mantos sujos de sangue" (v.4).

3º - O nascimento de um menino que irá trazer a LIBERTAÇÃO para o povo. Esse é o motivo central, o que até agora tinha sido anunciado. As esperanças dos pobres e oprimidos reflorescem a partir desse nascimento. O v.5 descreve, a CARACTERÍSTICA do menino-esperança para o povo sofrido: "Ele traz sobre os ombros o manto do rei". O v.5 também mostra qual a IDENTIDADE do menino-esperança. Seu NOME dá a conhecer suas ações em favor do povo: "CONSELHEIRO MARAVILHOSO, DEUS FORTE, PAI PARA SEMPRE, PRÍNCIPE DA PAZ". Esses nomes são cheios de significado, traduz a PRÁTICA do novo rei: será mais Sábio que Salomão, capaz de fazer justiça ao povo (CONSELHEIRO MARAVILHOSO); será mais FORTE que DAVI, defendendo o povo das ameaças externas, pois tem a própria força de Deus (DEUS FORTE); será LIDER que supera a liderança de MOISÉS, conduzindo o povo à vida definitiva (PAI PARA SEMPRE); mediante sua liderança, o exercito da justiça e a defesa do povo, criará a paz-plenitude dos bens (PRINCIPE DA PAZ). É o resumo de tudo o que aconteceu de bom no passado  do povo de Deus.

O v.6 descreve as CONSEQUÊNCIAS da administração justa: haverá um reino sem limites, realizando assim as promessas feitas a Davi. Esse reino durará para sempre porque esta fundado na administração do direiro e da justiça.

O novo Testamento leu esse texto à luz do NASCIMENTO, MORTE E RESSURREIÇÃO DE JESUS. Lendo--o à luz do NASCIMENTO DE JESUS, os cristãos percebem já possuir a realização da promessa. Diante dessas promessas podemos perguntar: Por que o povo de Deus continua sofrendo? Por que ainda não chegamos a fazer uma grande fogueira de tudo o que é sinal de opressão e morte.

"Hoje, na cidade de Davi, nasceu para vocês um Salvador, que é o Messias, o Senhor" (Lc 2,1-14). O anúncio central do trecho de hoje (2,11) traz em si o inicio e a realização da salvação. "Ele é o Salvador" (a salvação não se esgota no nascimento de Jesus, mas se completa com a morte e ressurreição).

Em (2,7a) se diz que "Maria enfaixou Jesus e o colocou na manjedoura"; em (23,53a) afirma-se que "José de Arimatéia enfaixou o corpo de Jesus e o colocou num sepulcro". São Lucas descreve o nascimento de Jesus à luz do evento central da nossa fé. Seu nascimento é já anúncio de sua morte e ressurreição.

Jesus nasce pobre no meio dos pobres (vv.1-7) O caminho que Deus usa para entrar na história da humanidade é um caminho alternativo não trilhado pelos poderosos. O decreto do Imperador Augusto (2,1) tem por objetivo arrecadar impostos sobre pessoas livres e escravas, homens e mulheres. A ordem vem de Roma, centro do poder de Augusto que acha que tem poder sobre as pessoas com direito de explorar e dominar. São Lucas faz uma leitura teológica desses fatos:

1) A salvação não procede dos poderosos que dominam e abusam do poder;

2) A salvação vem de um pobre, filho de migrantes e marginalizados e explorados. José e Maria peregrinam de NAzaré, na Galiléia, para Belém, na Judéia. Belém era a cidade natal de José (v.3)

O nascimento de Jesus tem um contraste com o nascimento de João Batista: Joção nasce em casa, Isabel recebe visita dos parentes e amigos, Maria dá a luz sozinha, durante uma viagem, fora de casa sem encontrar lugar entre os parentes (v.7 = parentes de José), na maior solidão e abandono, recebe a visita dos pastores (pessoas marginalizadas), Jesus é colocado em uma manjedoura. João tinha o comentário dos vizinhos, o nascimento de Jesus o comentário fica por conta dos anjos, aqui está a grande novidade.

O Salvador pobre optou pelos pobres e marginalizados (vv.8-11): O centro do Evangelho de hoje é o v.11: "Hoje, na cidade de Davi, nasceu para vocês um Salvador, que é o Messias, o Senhor". Esse tipo de noticia naquela época era para anunciar o nascimento de alguém muito poderoso (reis, imperadores), hoje os meio de comunicação anunciam ao mundo inteiro quando nasce alguém que é filho dos poderosos, herdeiro ao trono.

O menino pobre que nasce em Belém, a comunicação do seu nascimento fica por conta do anjo do Senhor, ele vai comunicar esta grande novidade (Evangelgo) a humanidade. O anuncio não dirigido aos poderosos, e sim aos pastores, que eram odiados por serem pobres, um pastor não podia ser eleito a cargos eletivos. (hoje: juiz, presidente, senador, deputado federal, governador, deputado estadual, prefeito, vereador), por não respeitar as leis (ricos) tem má fama.

O povo de Jesus pobre são esses marginalizados da sociedade. Os pobres são envolvidos pela luz divina (v.9) O pastores (pobres) recebem a noticia do nasciemnto do menino pobre e são encarregados de transmiti-la a todo povo (v.10)

 A salvação entra na história da humanidade com caracteristica do povo pobre (faixas, manjedoura), longe dos palacios e berços de ouro.

A carta de São Paulo a Tito é uma breve catequese sobre quem é Jesus e quem são os cristãos. Ser cristão é ser livre e comprometido com a liberdade e a vida para todos.

 Pe. José Afonso de Souza

Jacareí, 24 de Dezembro de 2011

Fonte: Roteiros Homileticos, Pe. José Bortolini - Paulus

           Bíblia Sagrada Edição PAstoral - Pauluis

           Projeto Nacional de Evangelização, nº19 - CNBB

           Biblia de Jesusalem - Paulus

Voltar

 
| Política de privacidade