Avisos Paroquiais
Receba nosso informativo diretamente em seu e-mail.
O BOM PASTOR E OS PASTORES DO POVO

02/05/2012

29/04/2012

4º DOMINGO DA PASCOA

At 4, 8-12 / Sl 118 (117) / 1Jo 3, 1-2 / Jo 10, 11-18

TEMA: “O BOM PASTOR E OS PASTORES DO POVO”

Hoje é dia dos pastores e dia da pastoral. Trabalhar na pastoral de uma comunidade é estar a serviço da vida e liberdade do povo, continuando na história os atos libertadores de Jesus, o Bom Pastor.                                                                                                         

 Jesus é o Bom Pastor que veio para que todos tenham vida em abundância! O discurso sobre o Bom Pastor traz três comparações ligadas entre si: Jesus fala do pastor e dos assaltantes (Jo 10, 1-5); Jesus é a porteira das ovelhas (Jo 10, 6-10); Jesus é o Bom Pastor (Jo 10, 11-18).                                          

O discurso de Jesus sobre o Bom Pastor, é como um tijolo inserido numa parede já pronta. Com ele a parede ficou mais forte e mais bonita.                                                                                       

Na Palestina, a sobrevivência do povo dependia em grande parte da criação de cabras e ovelhas. A imagem do pastor guiando suas ovelhas para as pastagens era conhecida por todos, como hoje todos conhecem a imagem do motorista de ônibus. Era normal usar a imagem do pastor para indicar a função de quem governava e conduzia o povo. Os profetas criticavam os reis por serem maus pastores que não cuidavam do seu rebanho e não o conduziam para as pastagens (Jr 2,8; 10,21; 23, 1-2). Esta critica dos maus pastores foi crescendo na mesma medida em que, por culpa dos reis, o povo acabou sendo levado para o cativeiro (Ez 34, 1-10; Zc 11, 4-17).                                                                               

Diante da frustração sofrida com os desmando dos maus pastores, aparece a comparação com o verdadeiro pastor do povo, que é o próprio Deus: “O SENHOR É O MEU PASTOR E NADA ME FALTA” (Sl 23, 16; Gn 48, 15). Os profetas esperam que, no futuro, Deus venha, ele mesmo, como pastor guiar o seu rebanho (Is 40, 11; Ez 34, 11-16). E esperam que, desta vez, o povo saiba reconhecer a voz do seu pastor: “OXALÁ OUVISSEIS HOJE A SUA VOZ!” (Sl 95, 7). Esperam que Deus venha com Juiz que fará o julgamento entre as ovelhas do rebanho (Ez 34, 17). Surgem o desejo e a esperança de que, um dia, Deus suscite bons pastores e que o messias seja um bom pastor para o povo de Deus (Jr 3, 15; 23, 4).                                                                               

Jesus realiza esta esperança e se apresenta como o Bom Pastor, diferente dos assaltantes que roubam o povo. Ele se apresenta também como o Juiz do povo que, no final, fará o julgamento como um Pastor que sabe separar as ovelhas dos cabritos (Mt 25, 31-46). Em Jesus realiza a profecia de Zacarias que diz que o Bom Pastor será perseguido pelos maus pastores, incomodados pela denúncia que ele faz: “Vão bater no pastor e as ovelhas se dispersarão!” (Zc 13, 7). No fim, Jesus é tudo: É A PORTEIRA, É O PASTOR E É O CORDEIRO! 

Pe. José Afonso de Souza

Jacareí, 29 de Abril de 2012 

FONTE: Projeto Nacional de Evangelização, Nº 21CNBB CNBB                                                                                                                         Roteiros Homiléticos, Pe. José Bortolini – Paulus                                                                                                                                                                    Bíblia Sagrada, Edição Pastora – Paulus                                                                                                                                                                                                       Frei Carlos Mesters - CEBI

Voltar

 
| Política de privacidade