Avisos Paroquiais
Receba nosso informativo diretamente em seu e-mail.
“SOMOS TODOS IGUAIS, BRAÇOS DADOS OU NÃO!”

28/06/2012

A liturgia que vamos participar nesta noite não está alheia ao contexto de vida do nosso povo, especialmente do mais sofrido, excluído e lascado. A nossa celebração acontece no meio da conflitividade, da perseguição, das greves e do martírio do povo de Deus, especialmente o que vem sofrendo a juventude deste país. Ninguém expõe a vida sem convicção profunda. A conquista de mais vida é o motivo da nossa luta. Foi exatamente este o testemunho de Santo Irineu, bispo e mártir, discípulo de São Policarpo, que também morreu martirizado.

Temos aqui presente as celebrações realizadas nas Romarias da Terra, nos encontros de CEB’s, nos acampamentos dos sem-terra, nas ocupações, nos despejos, nas perseguições e martírios.

Diante do ataque da morte, despertamos para o valor da vida. Esta é a grande descoberta: o valor da vida; a vida é o grande objeto de nossas celebrações. É como se o pólo da morte chamasse o seu oposto, o pólo da vida. A dor da opressão chama paradoxalmente a gratui-dade da festa, a morte chama a ressurreição.

O lugar geográfico da celebração é o lugar da luta pela sobrevivência. Muitas celebrações são feitas em caminhada e romarias: expressam o fato da constante migração e mobilidade forçada. Nesse sentido vamos dirigir as nossas preces pela 1ª Romaria dos Mártires da Caminhada de Jacareí, que acontece neste sábado, dia 30 de junho. Esta Romaria quer lembrar o fato de sermos os peregrinos a caminho do Reino, que ainda não se realizou ple-namente.

Queremos dirigir a nossa prece ao Deus da vida, Pai de ternura, que escuta o clamor da ju-ventude que sofre um verdadeiro extermínio em nossa sociedade. Queremos pedir ao Pai que venha em socorro do teu povo, libertando-nos da aflição, da opressão e da agonia.

Queremos pedir ao Pai de toda consolação a paz, a justiça, a coragem e a firmeza que con-cedeu aos mártires da caminhada.

Voltar

 
| Política de privacidade