Avisos Paroquiais
Receba nosso informativo diretamente em seu e-mail.
NO CAMINHO DE JESUS

09/09/2012

09/09/2012

K

VIGÉSSIMO TERCEIRO DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO B

K

Is 35, 4-7a / Sl 145 (146) / Tg 2, 1-5 / Mc 7, 31-37

K

TEMA: “NO CAMINHO DE JESUS”

K

Iniciamos hoje em nossa Comunidade Paroquial a Semana da Bíblia, vamos rezar, estudar, confraternizar durante essa semana como comunidade comprometida “No caminho de Jesus” que é o tema proposto pela CNBB. Vamos estudar nessa semana especial o Evangelho de São Marcos e nesse caminho queremos conhecer melhor “quem é Jesus”, para poder também melhor segui-lo e servi-lo.

Marcos escreveu seu Evangelho com a finalidade precisa de responder à pergunta: “Quem é Jesus?” Marcos porém não responde com doutrinas teóricas ou discursos  de Jesus. Ele apenas relata a prática ou atividade de Jesus, deixando que a pessoa chegue por si mesma à conclusão de que Jesus é o Messias, o Filho de Deus (1, 1; 8, 29; 14, 61;15,39). Portanto, na leitura do Evangelho de São Marcos, o importante é perceber o significado do que Jesus faz, isto é, estar atento ao quadro completo da sua atividade.             

Através da sua prática, Jesus realiza o projeto messiânico segundo a vontade do Pai, entrando em conflito com uma concepção de Messias ligada aos esquemas de dominação. Nessa época, tinha-se a ideia de que o Messias viria como rei triunfante, que libertaria a nação judaica do poderio romano, e faria Israel retornar o antigo esplendor dos tempos de Davi e Salomão. Mas esse Messias não mudaria em nada, e até mesmo aperfeiçoaria, o esquema interno classista e opressor, sustentado por uma ideologia religiosa. Esse conflito se traduz concretamente no confronto da atividade de Jesus com a sociedade judaica do seu tempo.                                                        

Toda atividade de Jesus é o anúncio e a concretização da vinda do Reino de Deus (1, 15). E isso se manifesta pela transformação radical das relações humanas:                                                                                                                          - PODER  é substituído pelo SERVIÇO (campo politico), 

- COMÉRCIO é substituído pela PARTILHA (campo econômico),

- AIIENAÇÃO é substituída pela CAPACIDADE DE VER E OUVIR A REALIDADE (campo ideológico).  Trata-se de proposta alternativa de sociedade, que leva ao nivelamento fraterno das pessoas. Isso provoca oposição das autoridades e dos privilegiados, que fazem de Jerusalém e do Templo a sede do seu poder e riqueza. O resultado do conflito é a paixão e morte de Jesus. Mas Jesus não permanece morto. Ele ressuscita, e sua Ressurreição é a sentença condenatória do sistema que o matou.

O Evangelho de Marcos é apenas o começo da Boa Nova (1,1).  O autor deixa claro, portanto, que sua obra não é completa e que para chegar ao fim, supõe que nós tomemos uma posição: “Continuar o livro através de sua própria vida, tornando-se discípulo/a de Jesus”.  Como discípulo/a, devemos agora chegar a uma decisão, reconhecer Jesus como o Messias que leva à plenitude de vida (8,29; 15,39) e aceitar o seu convite, indo ao encontro do Ressuscitado na Galileia (16,7). Não se trata simplesmente de voltar a ler o Evangelho desde 1,14, e sim de continuar no tempo presente a atividade concreta de Jesus, através de prática que faça renascer continuamente a esperança da vinda do Reino.

Pe. José Afonso de Souza

Jacareí, 9 de setembro de 2012

Fonte: Bíblia Sagrada, Edição Pastora - Paulus

Voltar

 
| Política de privacidade