Avisos Paroquiais
Receba nosso informativo diretamente em seu e-mail.
TEMA: “LATIFUNDIÁRIOS E DONOS DE FURTUNAS NÃO HERDAM O REINO DO CEU”.

14/10/2012

14/10/2012

28º DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO B

Sb 7,7-11/Sl 89 (90)/Hb 4,12-13/Mc 10,17-30

-

-

TEMA:  “LATIFUNDIÁRIOS E DONOS DE FURTUNAS NÃO HERDAM O REINO DO CEU”.

Aprender as lições do passado para ser povo livre (Sb 7,7-11). Os judeus arriscavam perder a própria identidade e se entregar à busca do poder, riquezas e beleza, requisitos para alguém ser feliz. O texto de hoje deixa entrever, nas coisas que o sábio rejeita (poder, riqueza e bem-estar). O texto de hoje quer mostrar o que de fato torna uma pessoa plenamente realizada. O que significa ser sábio numa sociedade que privilegia falsas seguranças como o poder e a riqueza?  Israel foi chamado a ser um povo livre.  O texto de hoje se inspira no episódio de Gabaon (1Rs 3,7-12), onde Salomão pede a Deus a sabedoria para governar o povo a ele confiado.  A experiência vital desse rei sábio mostra que a busca do poder, riqueza, beleza, não produz segurança e não realiza o ser a pessoa enquanto ser humano, pois gera dependência cada vez maior. Por isso Salomão prefere a sabedoria aos cetros e tronos  (poder: v.8a), a riqueza, pedras preciosas, ouro e prata (ter: vv. 8b-9), à saúde (beleza: v. 10a). O poder, riqueza e beleza são como um punhado de areia, como a lama. Quando absolutizam essas falsas seguranças, os seres humanos não só acabam tornando-se insensatos, mais brutais, desumanos e tiranos. O livro da sabedoria quer ser uma síntese das experiências vitais que realizam as pessoas.

Jesus está a caminho de Jerusalém (Mc 10,17-30), onde será morto pelo sistema (os que tem o poder = fazendeiros, ter= sumos sacerdotes e saber= doutores da lei). Alguém corre ao seu encontro, qualquer um que esteja a procura de Jesus poderá identificar-se com aquele que se costumou chamar  o homem rico. Essa pessoa, como todo discípulo de Jesus, está a procura da verdadeira herança: “o que devo fazer para ganhar a vida eterna?” (v. 17b). Para entrar no Reino (vida eterna) é preciso  do que observar leis e regras. O Reino é dom de Deus aos homens e mulheres, e nele tudo deve ser partilhado entre todos. Isso significa repartir as riquezas em vista de uma igualdade, abolindo o sistema classista. É por isso que os ricos ficam tristes e dificilmente entram no Reino do ceú. E o que acontece quando a gente deixa tudo para seguir a Jesus e continuar o seu projeto? Encontra nova sociedade, embora em meio a perseguições, e já vive a certeza da plenitude que virá.

A  Palavra de Deus, ela é viva, tem poder de comunicar vida aos que a aceitam. Ela é eficaz: desde o começo do mundo, Deus fala e age. As coisas vão acontecendo à medida que a Palavra se manifesta. Ela é cortante como a espada de dois gumes, pode salvar e condenar, divide alma e espírito. A Palavra é a manifestação de Deus ao longo da história. Diante dela ninguém pode se ocultar e tudo esta nu e descoberto. O texto pretende motivar os que estão desanimados por causa das perseguições e dificuldades surgidas em vista do testemunho e da construção da sociedade justa e fraterna. A Palavra de Deus, o próprio Jesus, promessa de vitória e garantia de descanso, esta junto dos que lutam pelo por um mundo novo.

                                                                                      

Pe. José Afonso de Souza 

Jacareí, 14 de outubro de 2012

-

-

Fonte: Roteiros homileticos, ano b, Pe. José Bortolini – Paulus Projeto

-

Nacional de Evangelização, nº 23 – CNBB                                        

-

Bíblia Sagrada, Edição Pastoral - Paulus

Voltar

 
| Política de privacidade