Avisos Paroquiais
Receba nosso informativo diretamente em seu e-mail.
Mais Padres para a Igreja!

05/11/2012

Site Diocese de São José dos Campos 

Os diáconos Messias, Francisco e Benedito serão os novos padres no final deste ano de 2012. Cada um será ordenado em uma data, e em suas paróquias “de origem”. Vamos conhecer o Diácono Messias Rochinski, o primeiro a ser ordenado, no dia 30 de novembro.

Messias Rochinski, filho de David Rochinski (in memoriam) e Doralice Crispim Rochinski, e irmão de Aldo Rochinski, Marli Rochinski (in memoriam) Adelmo Rochinski e Mauro Rochinski, nasceu na cidade de Guaíra, no Paraná, no dia 06 de abril de 1973.

Jornal Expressão – Como foi o seu despertar para a vocação?

Messias – De família muito católica, percebi os primeiros sinais do chamado de Deus, ainda na infância, quando tinha entre 5 e 6 anos de idade. De modo particular, uma canção do Pe. Zezinho, “Balada por um Reino”, que meu pai sempre cantarolava, chamava minha atenção. Esta canção fala de uma pessoa que ouviu e respondeu ao chamado de Deus e a partir daí passou a sonhar e viver o sonho de Jesus: o Reino de Deus, onde todos viveriam a fraternidade, a paz, o amor. Dizia também, no final da canção, que o vocacionado, depois de percorrer um longo caminho, chegou à conclusão de que este Reino que tanto procurava, já estava no meio de nós, mas somente quem amasse seria capaz de compreendê-lo.

Quanto tinha quinze anos, morava em Pérola, uma pequena cidade do Paraná. Tomei coragem, procurei alguns padres Carmelitas, responsáveis pela paróquia e falei sobre o seu desejo de ser sacerdote. Fui acompanhado por algumas irmãs carmelitas e a Pastoral Vocacional. Visitei alguns seminários diocesanos e carmelitas, mas depois, por conta da nossa mudança para São José dos Campos, a ideia esfriou-se e pensei que tinha sido apenas ilusão de adolescente.

Depois de um bom tempo morando em São José, tendo trabalhado na Pastoral da Juventude, PLC, Pastoral da Sobriedade e principalmente no Grupo de Oração Jupcris, na então Capela Nossa Senhora de Fátima, no Jardim Oriente, que pertencia à Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, percebi novamente que Deus me chamava para o sacerdócio. Mas foi principalmente através da Pastoral Vocacional, e de modo particular por um convite de uma agente, a Senhora Teresinha, que comecei a fazer os encontros vocacionais e depois de dois anos decidiu enfim, entrar para o Seminário no ano de 2004.

O primeiro ano de seminário, o propedêutico, foi no Jardim Oriente, na Rua Hondo, onde na época funcionava uma das casas de formação da diocese. Os sete anos seguintes, residi no seminário Santa Teresinha, no Jardim Colinas. Os primeiros três anos viajei quase todos os dias para Taubaté, pois estudava filosofia na Faculdade Dehoniana. Os quatro anos de teologia, estudei aqui mesmo, em São José, no Instituto de Teologia e Filosofia Santa Teresinha.

Ao longo deste período de formação, nos finais de semana realizei trabalhos pastorais nas paróquias: São Benedito do Alto da Ponte, com o Pe. Rogério Augusto das Neves e Pe. Celso José Machado; Na Paróquia São José Operário, em Jacareí, com o Pe. Afonso; Na Paróquia São João Bosco, no Jardim das Indústrias, com Pe. Márcio, Pe. Valdir e novamente o Pe. Rogério Augusto; Na Paróquia Santa Inês, com o Pe. Sebastião Cesar e, por fim, no último ano, Ano Pastoral,  na Paróquia São Francisco de Assis, em Jacareí, com o Pe. Cláudio.

Agora, percorridos quase nove anos de caminhada no seminário, estou prestes a dar meu sim definitivo, respondendo de uma maneira mais concreta este chamado que me “persegue” desde a mais tenra infância.

Jornal Expressão – Com qual área de trabalho se identifica na Igreja?

Messias - Eu gosto muito da área de espiritualidade e das questões sociais. Acredito que sem uma vida espiritual intensa, dificilmente um cristão será capaz de suportar os desafios da missão, de modo particular quem é chamado a uma vida inteiramente consagrada ao serviço do Reino. A questão social, de modo particular chama a atenção, por conta da realidade em que vivemos, onde há muito por fazer, principalmente no nosso país marcado por grandes desigualdades sociais.

Jornal Expressão – Qual o seu lema presbiteral e qual o significado?

Messias - “Onde está teu tesouro, aí estará também o teu coração” (Mt 6,21). Este texto é para mim o fundamento da perseverança na fé de qualquer cristão e de modo particular para alguém que decide consagrar-se inteiramente a Deus como sacerdote. Espero, com a Graça de Deus, fazer dele uma referência, uma “regra de vida”, que norteará o meu ministério. Creio que este texto é um termômetro para percebermos onde está o centro da nossa atenção, da nossa vida. Se descuidar dele, corremos o risco de perder o sentido da nossa vocação e da própria vida, ou, como afirma o apóstolo Paulo, corremos o risco de correr em vão (Gl 3,4).

Jornal Expressão – Deixe uma mensagem para jovens que está discernindo sua caminhada vocacional.

A você jovem, que está em processo de discernimento vocacional, penso que, mesmo que tenha muitas atividades na sua paróquia, é importante dar uma atenção especial ao chamado de Deus, investindo mais tempo nesta busca. Vale a pena desacelerar um pouco seu ritmo, recolher-se nos encontros promovidos pela Pastoral Vocacional. Mas quando falamos em vocação, não nos restringimos apenas àqueles que são chamados ao sacerdócio ou a vida religiosa. Também aqueles que buscam a vida matrimonial precisam preparar-se bem para tomar esta decisão.

Quem sente a inclinação para o sacerdócio ou a vida religiosa, deve aproximar-se desse ambiente, conversar mais com sacerdotes, diáconos, seminaristas, participar das missas vocacionais, buscar literaturas sobre o tema.

Quem já percebe que seu caminho é o matrimônio, além da Pastoral Vocacional, deve procurar ajuda também junto aos casais cristãos que são testemunhas e referência de vida para eles.

É importante observar que Deus chama, mas ele não nos obriga a nada. Depende também da nossa resposta. Uma das perguntas fundamentais nesse processo de discernimento é aquela que o Apóstolo Paulo fez, quando teve a experiência com Jesus ressuscitado no caminho de Damasco: “Senhor, que queres que eu faça?” (At 9,6).

Somente quando temos a convicção de estarmos fazendo de fato a vontade de Deus é que a nossa vida e nossa vocação encontra um sentido mais pleno. Do contrário, corremos o risco de estar “trabalhando em vão”, fazendo a nossa vontade, pensando estar fazendo a vontade de Deus.

 
Ordenação Presbiteral
Dia 30 de novembro de 2012 (sexta-feira)
Horário: 19h30
Local: Paróquia Nossa Senhora de Lourdes  (R. Palmares, 895 – Pq. Industrial, em São José dos Campos)
Bispo Ordenante: Dom Moacir Silva
 

Voltar

 
| Política de privacidade